O Curso de Mestrado Profissional em Organizações Aprendentes (MPGOA) foi homologado pelo Conselho Nacional de Educação por meio da Portaria MEC N.º 1.225/2010 – DOU de 20/10/2010, Seção 1, Pág. 42. O Curso na UFPB foi autorizado em fevereiro de 2010 através da Resolução 10/2010 do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE/UFPB), com a área de concentração em Gestão e Aprendizagens, e três linhas de pesquisa, a saber: Inovação em Gestão Organizacional, Gestão de Projetos Educativos e Tecnologias Emergentes e Aprendizagem em Organizações, com a oferta inicial de 30 vagas, observando-se legalmente as condições de acessibilidade às pessoas com deficiências.

O curso iniciou sua primeira turma em dezembro de 2010 em caráter experimental, considerando ser a primeira iniciativa da UFPB nesta modalidade de Mestrado Profissional. De inicio, o MPGOA buscou articular os vários aportes teórico-metodológicos das ciências sociais, priorizando duas áreas do conhecimento: a administração e a educação. Isto porque considera que a aprendizagem adquire significativa importância no mundo das organizações, quer pública, privada ou do terceiro setor. Transformar-se com sucesso implica adaptar-se criativamente, reconfigurar-se, ampliar-se ou focar-se, enfim, renovar-se para cumprir suas metas de eficiência e eficácia. Tal perspectiva depende diretamente da capacidade de seus gestores, colaboradores de visualizar relações dinâmicas, aprender novos papéis e habilidades, reconfigurar identidades, ativar criativamente a inteligência coletiva/organizacional, cada vez mais desafiadora, sobretudo quando considerada as políticas nacionais de educação, ciência, tecnologia e inovação impostas. O desenvolvimento recente das políticas sociais, econômicas e culturais no Brasil continua apontando para os desafios da universalização do acesso e da elevação da qualidade dos serviços prestados à população seja por instituições públicas, privadas ou do terceiro setor. O enxugamento e a profissionalização (definição dos processos de trabalho) da máquina estatal, o crescimento do terceiro setor e a importância atribuída às ações de responsabilidade social das empresas públicas e privadas incluem novos protagonistas, novos desenhos e reposicionamentos no cenário das políticas sociais e das instituições, requerendo imaginação e ações conjuntas na tentativa de buscar soluções e mecanismos de melhoria de resultados por meio da educação continuada, característica que vem ao encontro da Portaria 17/1999 que institui o Mestrado Profissional. Agregue-se a este ponto a proposta de expansão institucional de acordo com o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Nesse contexto o Centro de Educação (CE) associando-se ao Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), do Campus I da UFPB, propõem a criação do MPGOA. Tal proposta resulta da convicção de que, constatada a experiência e atuação efetiva, que inclui um Mestrado e Doutorado em Educação do CE, e um Mestrado e Doutorado em Administração do CCSA, é necessária a expansão das atividades da Pós-Graduação com a abertura de um mestrado profissional, de caráter interdisciplinar. Tal perspectiva justifica-se ainda em relação à Região Nordeste na qual se situa o curso, pois são diversas as empresas, escolas, universidades, agências de formação que demandam crescentemente formas de Educação Continuada atualizada, no atual contexto da sociedade do conhecimento, requerendo novas habilidades como condição para que pessoas e organizações estejam aptas para lidar com o novo e superar deficiências das realidades sócio-econômicas. De modo que o Mestrado Profissional em Organizações Aprendentes (MPGOA) se estruture como um forte agregador educacional que contribuirá para que o Nordeste e a Paraíba, em particular, atualizem conhecimentos no que se refere aos pressupostos teórico-metodológicos necessários à implementação de ações educativas que aprimorem a gestão de suas diversas instituições. Tornando-se, pois a primeira experiência efetiva neste campo para a UFPB. Embora o Curso tenha sido autorizado em fevereiro de 2010 através da Resolução 10/2010 do CONSEPE, a primeira turma somente iniciou em dezembro do ano em pauta. O que vale justificar a morosidade da implantação que se configuraram em muitos desafios e obstáculos, a saber:

a) Primeiro Mestrado Profissional oferecido pela UFPB;
b) Compreensão e operacionalização por parte da Pró-Reitoria de Planejamento da UFPB em relação à compreensão, autorização, extensão e realização de Convênios que envolviam cláusulas técnicas, financeiras e pedagógicas;
c) Pouca celeridade dos procedimentos internos da UFPB em relação aos parceiros oriundos de instituições públicas e privadas, constituindo-se em significativo entrave em qualquer tentativa com o mercado no que diz respeito a convênios e seus congêneres.

Todo o processo perpassava também pela própria compreensão institucional da diferença entre Mestrado Profissional e o Mestrado Acadêmico. Muito embora o PDI institucional tenha estabelecido à ampliação acadêmica como uma de suas diretrizes básicas e em decorrência, a criação de novos cursos de pós-graduação e de novos grupos de pesquisa tornou-se ação prioritária a ser perseguida. Todavia, minimizados os empecilhos a primeira turma se inicia em dezembro de 2010, tendo das 30 vagas ofertadas 28 preenchidas divididas para as três linhas de pesquisa.

Os alunos originavam-se em sua maioria dos convênios pioneiros na esfera pública estadual com Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCU-PB); em nível federal a própria UFPB, e na esfera privada com a Faculdades Independentes do Nordeste (FAINOR) Vitoria da Conquista/Salvador, atendendo ainda a demanda social caracterizado pelo público que não está vinculado a nenhuma das instituições conveniadas, passando a denominar-se de Público em Geral. No ano de 2012, o MPGOA se revestiu de novos desafios, a iniciar por sua oferta de vagas que foram preenchidas em sua totalidade (30 vagas), sendo 17 vagas destinadas ao público em geral oriundos de diversas entidades tais como: Polícia Militar, Coordenadora Biblioteca da Faculdade Mauricio de Nassau, Professor da Faculdade POTIGUAR PB, Professor Rede pública Municipal de Arara, Diretora do Instituto Federal/PB – Campus Picuí, Coordenador pedagógico de ONG – Bairro Areial, Professora nas Faculdades UNIP-Asper/Participante da IMCUBIS, Oficial de promotoria do Ministério Público da PB, Gestora de Comunicação da Universidade Estadual, Empresa de Consultoria, Técnica Judiciária do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/PB), Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Gestora de Setor Hoteleiro, Coordenador Pedagógico da Escola Internacional Cidade Viva e Gerente da Lopes Empreendimento do setor Imobiliário, no campo Privado a FAINOR (Faculdade Independente do Nordeste) com três vagas; UFPB com três vagas; Universidade Federal do Rio Grande do Norte, seis vagas; e o Tribunal de Contas do Estado da Paraíba com uma vaga. O que se percebe um aumento gradual da primeira turma com 28 alunos, a segunda 27 e a terceira turma com 30 vagas preenchidas. Por outro lado, o Curso optou em reaproveitar, em razão da demanda, as vagas remanescentes das seleções anteriores, transferindo para a seleção de 2013, as vagas remanescentes, ofertando o total de 40 vagas, preenchidas do seguinte modo: na esfera Privada, a FAINOR, Vitoria da Conquista/Salvador com cinco vagas; na esfera pública, a UFPB com cinco vagas; a UFRN com três vagas, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) com nove vagas e a Universidade de Pernambuco com 16 vagas.

É oportuno ressaltar que a UFPB em 2013 levou a cabo modificações no Regulamento Geral de Pós-Graduação, por meio da Resolução 079/2013 revoga a Resolução nº 12/2000 do CONSEPE e dá nova redação ao Regulamento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu da Universidade Federal da Paraíba. Ação que se alavancou em anos anteriores confluindo com sua aprovação pelos órgãos superiores neste ano requerendo dos Programas de Pós em nível de stricto senso tanto Acadêmicos quanto os Mestrados Profissionais a readequação dos seus regimentos internos no prazo de 120 dias. Isso levou a Coordenação do Curso a instituir Comissões internas, das quais uma com designação especifica para tal fim, concluindo o novo regimento interno após audiências internas ocorridas no período de 15/08 e 12/09/2014, com a participação do seu corpo docente e discente, na construção do Novo Regulamento e Estrutura Acadêmica do Mestrado Profissional em Gestão nas Organizações Aprendentes que agora passa a ser denominado de Programa de Pós-graduação em Gestão nas Organizações Aprendentes. Após discussões realizadas na 17ª Reunião Ordinária, no dia 28/08/2014, na 18ª Reunião Ordinária, no dia 24/09/2014, e na 19ª Reunião Ordinária, realizada no dia 23/10/2014, todas ocorridas no Laboratório das Linhas de Pesquisa do MPGOA, aprovou por UNANIMIDADE o texto do Novo Regulamento e Estrutura Acadêmica do Programa de Pós-graduação em Gestão nas Organizações Aprendentes da Universidade Federal da Paraíba, sendo então encaminhado ao Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) para aprovação e vigência, o que deverá ser concretizado apenas em 2015, dado os trâmites internos no próprio conselho.

O novo regulamento provocou ainda a reformulação em todas as normas internas e de gestão do MPGOA, inclusive reformulação de ementas de disciplinas, oferta de novas disciplinas alinhamento entre a produção docente e as respectivas linhas de pesquisas e os produtos orientados, exigindo-se a implantação das seguintes Resoluções internas: RESOLUÇÃO MPGOA/CE-CCSA/UFPB N.º 002/2014 Define os critérios para concessão e renovação de Bolsa de Apoio à Pesquisa para docentes e discentes no âmbito do Mestrado em Gestão em Organização Aprendentes a serem auferidos semestralmente; RESOLUÇÃO MPGOA/CE-CCSA/UFPB N.º 003/2014 Define os critérios para concessão e renovação de Bolsa de Apoio à Pesquisa para docentes e discentes no âmbito do Mestrado em Gestão em Organização Aprendentes a serem auferidos semestralmente; RESOLUÇÃO MPGOA/CE-CCSA/UFPB N.º 004/2014 Define os critérios para a concessão de diárias e passagens no âmbito do Mestrado Profissional em Gestão em Organizações Aprendentes – MPGOA; RESOLUÇÃO MPGOA/CE-CCSA/UFPB N.º 005/2014 Define os critérios para credenciamento e recredenciamento de docentes no âmbito do Mestrado em Gestão em Organização Aprendentes; RESOLUÇÃO MPGOA/CE-CCSA/UFPB N.º 006/2014 que Altera a RESOLUÇÃO MPGOA/CE – CCSA/UFPB N.º 005/2014 que define os critérios para credenciamento e recredenciamento de docentes no âmbito do Mestrado em Gestão em Organização Aprendentes.

Tendo em vista as crescentes mudanças no cenário nacional com consequência nas formas de viver e agir numa sociedade marcada por céleres transformações políticas, sociais, econômicas e culturais, tornou-se necessário a adequação de disciplinas e ementas às demandas sociais e de mercado. Para tanto, foi composta uma comissão formada por docentes permanentes e docentes convidados para avaliação e redimensionamento da estrutura curricular com base na Resolução 06/2015 e nas necessidades de mudanças para adequação às necessidades de uma sociedade cada vez mais exigente em busca de profissionais competentes capazes de lidar com o ineditismo, imediatismo e as incertezas do mundo moderno.