COMO SURGIMOS

Criado como Mestrado Profissional em Gestão nas Organizações Aprendentes (MPGOA), no Centro de Educação da Universidade Federal da Paraíba, por meio da Resolução 09/2008 do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE/UFPB), o Mestrado teve o seu primeiro regulamento e estrutura acadêmica normatizado por meio da Resolução 10/2008. Em fevereiro de 2010, o curso foi homologado pelo Conselho Nacional de Educação, Portaria MEC N.º 1.225/2010 – DOU de 20/10/2010, Seção 1, Pág. 42. Integra a Área de Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo, a Área 27, da CAPES.

O Curso se originou por motivações de natureza acadêmica, institucional, social e profissional. No contexto do seu surgimento, as políticas de educação superior brasileira, impulsionadas pelas exigências de um mundo que demandava novos conhecimentos, capacitações e qualificações, ampliavam e expandiam, de forma inovadora, as ofertas de graduação e de pós-graduação. Foi neste cenário, que apontava para uma concreta abertura no caminho das pesquisas e da intervenção social e de ações empreendedoras no âmbito das universidades, que nasceu o atual Programa de Pós-Graduação em Gestão em Organizações Aprendentes (PPGOA), pautado pelo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e motivado pela crescente demanda local e regional de gestores de entidades públicas e privadas, que vinham requerendo maior atualização dos seus conhecimentos e qualificação no âmbito acadêmico.

Em seu prelúdio, o Curso foi estruturado aglutinando as áreas de Administração e de Educação, mas, pouco depois, apostando na interdisciplinaridade, passou a integrar também a área de Ciências da Informação, disciplinas científicas necessárias ao aprimoramento de ações educativas e formativas aplicadas à gestão das diversas instituições.

Em dezembro de 2010, observando-se legalmente as condições de acessibilidade às pessoas com deficiências e demandas sociais, celebrou-se o surgimento da sua primeira turma, com a oferta inicial de 30 vagas.

COMO ESTAMOS NA ATUALIDADE

Na atualidade, o MPGOA já formou mais de 150 mestres, que atuam em diferentes atividades gestoras em múltiplas e diversificadas instituições. Ao longo dos anos, o Programa passou por crivos avaliativos e autoavaliativos impulsionados por exigências internas e externas. Isso ocorreu, por exemplo, em 2013, quando a UFPB levou a cabo modificações no Regulamento Geral de Pós-Graduação, por meio da Resolução 079/2013, conferindo nova redação ao Regulamento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu e impondo a readequação dos regimentos internos dos PPGs.

Para atender a essa determinação, o MPGOA teve que construir um novo regulamento e organizar uma nova estrutura acadêmica. Foi constituída uma Comissão Interna e, após diálogos e entendimentos, chegou-se a uma decisão, em reunião coletiva realizada em 23/10/2014, quando surgiu um novo Regulamento e Estrutura Acadêmica do Programa, que foi encaminhado ao Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) e foi aprovado pela Resolução 06/2015. Com a nova estruturação, se fez necessário reformular todas as normas internas e de gestão do MPGOA, ofertas e ementas de disciplinas e ajuste e reajuste nas linhas de pesquisas, perfil do corpo docente e suas produções e os critérios para credenciamento e recredenciamento de docentes. Essas mudanças alteraram o nome do Programa, acompanhando as orientações e nomenclaturas adotadas pela CAPES. A partir de então, o Mestrado passou a ser denominado de Programa de Pós-graduação em Gestão nas Organizações Aprendentes (PPGOA), em nível de Mestrado Profissional.

Muitas parcerias já foram realizadas pelo PPGOA ao longo da sua história. Convênios foram realizados com o Ministério Público do Estado da Paraíba (MPPB), com o Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), com a Universidade de Pernambuco (UPE), com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e com a própria Universidade Federal da Paraíba (UFPB) para capacitação dos seus técnico-administrativos. Também se estabeleceu parcerias com instituições privadas, a exemplo da Faculdades Independentes do Nordeste (FAINOR) de Vitória da Conquista/Salvador. Essas parcerias não deixaram de contemplar o público da demanda social que não é vinculado a instituições conveniadas. Dentre esse público, já foram qualificados servidores/gestores da Polícia Militar, do Exército, professores e técnicos de sistemas públicos de ensino da educação básica e da educação superior, como IFPB, UEPB, UFCG, e do privado, como Faculdade Mauricio de Nassau, Faculdade Potiguar PB, Faculdades UNIP, bem como coordenadores de ONG, gestores de diversos ramos da administração privada, dos setores hoteleiro e imobiliário, entre outros.

Atualmente, vigora uma área de concentração em  Gestão e Aprendizagens e três linhas de pesquisa: 1) Inovação em Gestão Organizacional, 2) Gestão de Projetos e Tecnologias Emergentes e, 3) Aprendizagem nas Organizações.

A gestão é o eixo que organiza as atividades do curso. Compreende-se como gestor o profissional que desenvolve planos estratégicos e operacionais com vistas a atingir os objetivos organizacionais de forma individual ou coletiva, conceber estruturas e estabelecer políticas, traçar diretrizes e procedimentos que julgar mais pertinentes e adequados aos planos e projetos institucionais e, por fim, implementar e coordenar a execução das propostas previstas através de determinados tipos de ações, de liderança e de controle. Consideram-se como gestores as pessoas que desenvolvem diferentes cargos, funções e atividades acima elencadas, em instituições públicas, privadas e do terceiro setor. Defendemos como pressupostos centrais na matriz curricular que os desafios da aprendizagem contínua requerida para a atuação inovadora no planejamento, monitoramento e avaliação de programas e ações organizacionais deve ser entendida em perspectiva aprendente e ao longo da vida.